sexta-feira, 13 de maio de 2011

Como Vencer a Ansiedade?

 Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.Filipenses 4:6 e 7.



Ansiedade. Este é um mal que atinge a quase todas as pessoas. E, segundo pesquisas mais recentes, tem sido a responsável pela emersão de uma série de doenças. Onde reside a sua causa? Como vencer este mal? Hoje nos debruçaremos neste assunto, onde cogitaremos sobre a solução eficaz para este problema universal.
Desde a entrada do pecado no mundo, Satanás tem laborado incansavelmente para extinguir da face do Universo, qualquer coisa que lembre o Criador. Como variante de seu nefasto plano, desenvolveu uma estratégia com o intuito de alcançar aqueles que houvessem resistido ao seu primeiro ataque. Se não lhe era possível banir da mente dos homens a lembrança de Deus, tentaria levá-los a vê-Lo de modo distorcido. E esta variante foi mais eficaz que o plano original. O que lhe interessa hoje não é que as pessoas não saibam que existe Deus, mas que O vejam com uma imagem por ele [Satanás] criada. Se alcançasse tal objetivo, estaria satisfeito. Assim sendo, cada ato divino em relação ao homem, o diabo tentou, ao longo da história, obscurecê-lo na mente dos incautos, fazendo Deus parecer um tirano. Certamente esse foi o estratagema que usou para enganar os anjos que foram expulsos com ele. Este é o seu verbo preferido: ENGANAR.
Ainda hoje, não poucas pessoas têm feito comparação entre Cristo, revelado no Novo Testamento, e Deus revelado no Velho Testamento. E aos seus olhos enfatizam que há uma abismal diferença entre ambos. Dizem: “Deus parecia impaciente e severo no Velho Testamento, enquanto no Novo, manso e suave.” E era tudo o que o diabo queria ouvir. E daí, separando os dois concertos, ou testamentos, ele poria em vantagem os seus ardis, pois o Velho e o Novo Testamentos são inseparáveis, e assim devem ser. O objetivo principal de Satanás, por trás de seu insaciável desejo de distorcer o caráter de Deus, consiste em não revelar o seu próprio, porque quanto mais o caráter de Deus for exposto, o seu, em contrapartida será mostrado em sua terrível, antagônica e original forma, pois a luz não comunga com as trevas, e a luz a tudo revela. Sendo Deus pregado aos homens, sendo o Seu amor anunciado as Suas criaturas, a natureza do mal se revestirá de sua própria vestidura, e isso frustraria os intentos do inimigo. Eis a razão do seu inesgotável empenho.
Ademais, cabe a nós sabermos algo muito importante. O Deus do Velho Testamento é o mesmo do Novo. Lemos em Gênesis: “No princípio CRIOU DEUS os céus e a terra.” Capítulo 1, versículo 1. E no Evangelho de João: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, E O VERBO ERA DEUS... E O VERBO SE FEZ CARNE, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai.” Capítulo 1, versículos 1 e 14. Cristo é o mesmo personagem divino tanto no Velho como no Novo Testamento. Ele é o Criador de todas as coisas. “Todas as coisas foram feitas por intermédio dEle, e sem Ele NADA do que foi feito se fez.” João 1:3. E por esse motivo, Ele disse: “Antes que Abraão existisse, EU SOU.” João 8:58. Essa foi a mesma identidade que usou para que Moisés apresentasse ao povo: “Assim  dirás aos olhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.” Êxodo 3:14.
Quais os efeitos que os planos do inimigo da luz deveriam produzir? Façamos uma simples ilustração. Digamos que alguém fale constantemente para uma criança, que não vive na presença de seus pais, que estes não a amam, que não querem conhecê-la e nem se preocupam com o seu bem estar. Agora aquela criança, que já é um adulto, como se comportará, se porventura lhe forem apresentados os seus pais? Dificilmente irá crer numa só palavra que disserem, ainda que derramem lágrimas. A criança fora arrancada do seio de seus pais, e estes a procuraram durante toda a vida, mas a acharam já formada, educada de maneira a hostilizá-los, caso fosse futuramente por eles encontrada. Esses pais terão que labutar persistentemente para que tenham a chance de convencer seu filho sobre o amor que sempre nutriram e a angústia que lhes roubou o sono, enquanto por ele procuravam.
Creio que essa ilustração nos dê uma idéia, ainda que pálida, de como os fatos se desenrolaram desde a queda dos nossos primeiros pais. Não é à toa que está escrito: “Veio para o que era Seu, mas os Seus não O receberam.” João 1:11. A cegueira espiritual a que Satanás levou o povo de Deus, fez com que não enxergasse Aquele que nasceu numa manjedoura como o Filho Unigênito de Deus. Rejeitando-O, renegaram a luz. Israel deveria cumprir a missão de expandir a luz ao mundo pagão, tornando Deus conhecido por todos os arredores e cantos do mundo, mas a incredulidade crescente, a dureza de seus corações fizeram com que mais e mais se distanciassem dAquele que houvera sido o Seu Guia e Protetor. Achando-se livres, eram escravos de Satanás; achando-se repletos de luz, estavam mergulhados em densas e tenebrosas trevas. Preparavam, sem perceberem, o espírito de rebelião contra o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.
Não obstante o constante declínio espiritual do homem e sua rebeldia, Deus dispôs todo o Céu a favor da salvação da raça caída. Dentre tantos objetivos, pelos quais o Filho de Deus Se manifestou ao mundo, enfocaremos a revelação do verdadeiro caráter de Deus, assaz obliterado pelo inimigo. O próprio Deus se vestiu de ser humano, com o propósito de, estando entre os homens, mostrar a verdadeira face do Criador. Quando Felipe postulou a Jesus: “Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta”, Jesus respondeu: “Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não Me tens conhecido? Quem Me vê a Mim vê o Pai; como dizes tu: mostra-nos o Pai?” João 14:8 e 9.
Cristo veio também para revelar que a verdadeira sede da alma, só poderia ser saciada em Sua presença. Apresentou-Se como sendo a Água da vida e o Pão do Céu. Utilizou aquilo que corresponde o principal alimento do corpo, para representar o que seria o principal alimento da alma: ELE MESMO. Em conversação com uma mulher diante do poço de Jacó, disse: “Mas aquele que beber da água que Eu lhe der NUNCA TERÁ SEDE; pelo contrário, a água que Eu lhe der se fará nele uma fonte de água que jorre para a vida eterna.” João 4:14. Deus ao criar o homem, não o fez sem que houvesse uma relação entre ambos. Deus criou uma atmosfera de amor que deveria envolver Criador e criatura. Ele proveu o homem de sentimentos, capacitando-o para amar, com a necessidade de ser amado também. Mas a entrada do pecado afastou o homem do Seu Criador, impossibilitando-o de desfrutar diretamente daquela maravilhosa presença, como dantes. Com isso o suprimento da necessidade da alma foi interrompido, e tal lacuna não pode ser preenchida por nada, senão pela presença de Deus, através do Espírito Santo.
Mais que urgentemente precisamos nos reconciliar com o nosso Pai celestial. Não podemos continuar tentando saciar a sede da alma com o que é terreno, passageiro. Não chegaremos a nenhum lugar, senão à morte eterna. Nosso ser reclama continuamente por Deus, pois de Suas mãos fomos gerados. Entrementes, em nossa condição natural jamais desfrutaremos de Sua presença. É necessário nos submetermos a um milagre realizado pelo Seu Espírito, a fim de que, gerados de novo, possamos entrar no Seu descanso. Eis o convite do Salvador: “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei... E achareis descanso para as vossas almas.” Mateus 11:28. Não há outro lugar, a não ser na presença de Cristo, onde nossas almas alcançarão a paz, o descanso que tanto aspira.
E quanto a Judas? Ele não desfrutava da presença do Salvador? E os demais discípulos, não viviam em estrita ligação com o Mestre? Como não corresponderam ao amor infinito? Porque eles eram carnais, vendidos sob o pecado. Eles eram filhos do primeiro Adão, e, por conseqüência, não podiam, ainda que quisessem, obedecer ou agradar a Deus. Eles necessitavam morrer para si mesmos, a fim de que, neles, o último Adão, Jesus, vivesse. Estar ao lado de Cristo não é suficiente. Ele precisa viver em nós. E isso só ocorre em nossas vidas se nascermos no Reino de Deus. Esta é a maior necessidade de todo ser humano: nascer de cima, nascer de Deus. Paulo diz: “Pelo que, se alguém está em Cristo, NOVA CRIATURA é; as coisas antigas já passaram; eis que se tornaram novas.” II Coríntios 5:17. Noutra versão diz assim: “as coisas velhas já passaram; eis que TUDO se fez novo.” Estar em Cristo é mais que está próximo a Ele, ou viver em comunhão com Ele; significa Ele viver em nós. E isso não conseguimos por nossos próprios esforços, nem pela mais polida educação. Isso vem por um milagre, unicamente. Nossos esforços só terão valor depois que formos refeitos em um novo ser. Este novo ser se esforça e consegue, pelo poder que vem de Cristo, mediante o Espírito Santo que lhe é concedido como penhor, como garantia da nossa esperança.
Atenda, caro leitor, ao chamado de Cristo. Ele quer que sejamos quais crianças que não estão preocupadas com as coisas da vida, não andam ansiosas pelo vestir ou pelo comer, ou por coisa qualquer, porque sabem que seus pais não lhes deixarão faltar nada. O homem natural não possui essa virtude de descansar totalmente no Criador, pois a fé herdada do primeiro Adão é fraca e é aniquilada na hora negra da vida. A fé de Cristo, a que Ele mesmo criou e a consumou com Seu viver, é a fé que Deus nos quer dar, com o novo nascimento, a fim de que possamos alcançar a mesma vitória que Jesus alcançou. Pois a essa fé se reporta São Paulo, quando diz: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a NA FÉ DO FILHO DE DEUS, o qual me amou, e se entregou a Si mesmo por mim.” Gálatas 2:20.
Podemos tomar remédio para diminuir o estresse, a ansiedade, a angústia, porém nenhum remédio trará a cura; ele servirá como um paliativo, cuja função é esconder ou mascarar o problema que se alastra pela mente do homem. E nenhum remédio é mais eficaz do que a presença do Santo Espírito de Deus em nossos corações. Gálatas 5:22 nos declina todos os frutos dEle provindos: “AMOR, ALEGRIA, PAZ, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, domínio próprio.” Destaquei as três qualidades que mais facilmente se denotará naquele que foi gerado novamente, as quais constituem o antídoto contra qualquer problema psicológico ou psíquico que ora atingem o ser humano.
Os nascidos de Deus têm o privilégio de reclamarem de Seu Pai o cumprimento de Suas maravilhosas e grandíssimas promessas, dentre as quais algumas podemos citar, onde versam os cuidados paternos de Deus. Eis algumas delas:
O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que O TEMEM, e os livra.” Salmo 34:7;
 Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum PORQUE TU ESTÁS COMIGO.” Salmo 23:4;
O Senhor É MEU PASTOR; nada me faltará.” Salmo 23:1;
 E o meu Deus, segundo a Sua riqueza em glória, HÁ DE SUPRIR EM CRISTO JESUS, cada uma de vossas necessidades.” Filipenses 4:19.
Ninguém que decida se entregar a Deus de corpo e alma será por Ele vilipendiado. Fomos comprados por Seu amor, e em todo momento Seus braços estão abertos para nos receber, não importa quem somos nós, ou o quanto estamos distantes dEle. Nada pode obstaculizar ao homem de receber o perdão de Deus, salvo o seu próprio orgulho, ou descaso. “Todo o que o Pai me dá esse virá a Mim; e o que vem a Mim, DE MANEIRA NENHUMA O LANÇAREI FORA.” João 6:37. Todo o Céu está a nosso favor, a fim de que nos reconciliemos com Deus e possamos desfrutar de Suas bênçãos, uma vez que elas SÓ SÃO DERRAMADAS para aqueles que não vivem mais para si mesmos, “mas para Aquele que por eles morreu e ressuscitou.” II Coríntios 5:15.  “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou COM TODAS AS BÊNÇÃOS ESPIRITUAIS nas regiões celestes EM CRISTO.” Efésios 1:3.
No coração regenerado não há lugar para ansiedade, estresse ou problemas de ordem psicológica, pois onde há paz, alegria e amor provindos do seio do Pai, há repouso, segurança, confiança nos ternos cuidados de Deus. “Humilha-te, pois, sob a potente mão de Deus, para que em tempo oportuno vos exalte, LANÇANDO sobre Ele toda a vossa ANSIEDADE, PORQUE ELE TEM CUIDADO DE VÓS.” I Pedro 5:6 e 7. Só precisamos deixar que nossa alma seja refrigerada pelo Espírito de Deus; só precisamos escolher viver para Aquele que tudo fez, faz e fará, até o nosso último suspiro, para nos resgatar das mãos de Satanás. No entanto, Ele impõe limites ao Seu incomensurável poder, respeitando a nossa decisão. Ele não quer que O sirvamos contra a nossa vontade, todavia nos convida a recebê-Lo no coração, pois que Sua própria vida decidiu entregá-la por nós, sofrendo a pena que era nossa, a fim de que pudéssemos receber o tratamento a que Ele tinha direito, tratamento de filhos e filhas de Deus. E Sua voz ainda pode ser ouvida clara e veementemente: “Torna-te para Mim, PORQUE EU TE REMI.” Isaías 44:22.
Sim, meu caro leitor, a reconciliação com Deus é o remédio eficaz para a ansiedade, pois ela produz a paz que excede todo o entendimento, e essa paz, o mundo e todas as suas paixões não são capazes de nos oferecer, porquanto ela é o efeito natural do ato perdoador de Deus, que nos transforma em seres semelhantes a Ele próprio. “Sendo, pois, JUSTIFICADOS pela fé, TEMOS PAZ com Deus.” Romanos 5:1. “Mas todos nós, com rosto descoberto, REFLETINDO como um espelho A GLÓRIA DO SENHOR, SOMOS TRANSFORMADOS de glória em glória NA MESMA IMAGEM, como PELO ESPÍRITO DO SENHOR.” II Coríntios 3:18. Como está escrito: “Ele é a nossa paz.” Efésios 2:14. Dá a tua alma, o que ela de fato necessita: CRISTO!
Que Deus nos abençoe!

0 comentários:

Postar um comentário

  ©Gotas de Conhecimento - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo