sábado, 5 de março de 2011

Em Espírito e Em Verdade

Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. João 4:24.


Muitos de nós interpretamos o versículo temático como sendo aguda concentração nas coisas sagradas, total isolamento das demais coisas que não estejam diretamente ligadas ao culto oferecido ao Criador. E não percebem que não compreender tal versículo custa-lhes, quiçá, sua própria salvação.
Mas o que o autor sagrado pretende nos transmitir nessa passagem? Estaríamos nós errados ao interpretarmos como foi cogitado acima? E onde está o prejuízo à alma? Para respondermos a essas perguntas, necessitaremos avocar alguns outros versículos conexos. Analisemos, então, o que está escrito em João 3:6: “O que é nascido da carne é carne, mas o que é nascido do Espírito é espírito.” O verbo explorado nesse verso é NASCER. Nascer da carne, nascer do Espírito. Um ponto digno de nota: por estar a palavra Espírito com sua letra inicial maiúscula, reporta-se ao Espírito Santo. Fazendo comparação dessa assertiva com João 3:3, só podemos concluir que se fala da mesma coisa: o novo nascimento. Nascer de novo, portanto, é nascer do Espírito Santo, é ser gerado por Ele. São Pedro nos traz à luz algo maravilhoso: “Sendo DE NOVO GERADOS, não de semente corruptível, mas de incorruptível, pela palavra de Deus, a qual vive e permanece.” I Pedro 1:23. Aqui não fala do verbo gerar, pois gerado já fomos, concorda? Pedro diz de novo gerados, ou seja, regerados ou regenerados. O novo nascimento, dessarte, constitui a obra de regeneração do Espírito Santo, através das Escrituras Sagradas. O termo “semente” faz alusão aos elementos envolvidos nesses processos geradores: os gametas masculinos e femininos no processo natural; a Palavra de Deus, no sobrenatural. E São Paulo nos fala dessa mesma incidência de modo diferente: “No qual também vós, tendo ouvido a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, e TENDO NELE TAMBÉM CRIDO, FOSTES SELADOS com O ESPÍRITO SANTO DA PROMESSA.” Efésios 1:13.
Qual a importância desse novo nascimento? A Bíblia estabelece uma resposta crucial. Ela nos diz que ninguém que não tenha provado dessa experiência promovida pelo Espírito Santo, terá entrada no Céu. E Cristo sobre isso mesmo nos adverte: “Em verdade, em verdade te digo que se alguém NÃO NASCER da água e do Espírito, NÃO PODE entrar no reino de Deus.” João 3:5. O texto não se refere a desejo, à vontade, porém à impossibilidade. Vale dizer, que se não nascermos de novo, antes da volta de Cristo, estaremos perdidos, seremos destruídos, banidos da face da Terra. É tão sério assim? Assaz. Serão arrebatados somente os que forem glorificados, e só serão glorificados os que forem santificados, e só serão santificados os que forem justificados. E como saber alguém se foi regenerado, se nasceu de novo? Romanos e Gálatas nos dão a resposta. Em Romanos, no capítulo 6, Paulo relata que aquele que nasce de novo não serve mais ao pecado, pois este não tem mais domínio sobre ele. “Pois o pecado NÃO TERÁ DOMÍNIO sobre vós, PORQUANTO não ESTAIS debaixo da lei, mas DEBAIXO DA GRAÇA.” Romanos 6:14. E novamente assiro que muitos não compreendem verdadeiramente o que é estar debaixo da graça. É contundente, mas necessário, saber que somente estamos na graça ou debaixo da graça, se tivermos nascido de novo. “Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz.” Romanos 8:6. Inclinação é sinônimo de tendência. Aquele que nasceu do Espírito tem inclinação natural para as coisas do Espírito. Não nos inclinamos ora para a carne ora para o Espírito, nem ora somos amigos de Deus ora Seus inimigos. Incabível.
Como cediço que há duas famílias, a carnal e a espiritual, temos que admitir que é impossível alguém estar incluído simultaneamente nas duas, pois Cristo mesmo disse que ninguém PODE servir a dois senhores. Aqui também não diz respeito ao querer ou desejar, mas ao poder. Ainda que se queira não é possível. É indubitavelmente IMPOSSÍVEL. Todos nós nascemos primeiro da carne, ou seja, dos nossos primeiros pais, pais terrenos. Por conta disso, necessitamos nascer do nosso Pai celestial, para que possamos entrar nas mansões celestiais. Paulo bem afirmou: “Mas digo isto, irmãos, que carne e sangue NÃO PODEM herdar o reino de Deus.” I Coríntios 15:50. “O primeiro homem [filho de Adão], sendo da terra, é terreno; o segundo homem [filho de Deus] é do céu.” I Coríntios 15:47. “Isto é, não são os filhos da carne que são filhos de Deus; mas os filhos da promessa são contados como descendência.” Romanos 9:8. Por que filhos da promessa? Isso nos faz reportar ao nascimento de Isaque. Alguns pensam que o nascimento de Isaque foi de modo natural, como que Sara tivesse tornado a ovular. Só isso já seria um milagre, mas não foi assim. Isaque foi gerado pelo Espírito Santo. Talvez isso seja novidade para ti, no entanto, sobre esse assunto São Paulo não tem idéia diferente. Primeiro ele se refere a Isaque como filhos da promessa: “Ora vós, irmãos, sois filhos da promessa, COMO ISAQUE.” Gálatas 4:28. Então, ele complementa: “Mas, como naquele tempo o que nasceu segundo a carne [Ismael] perseguia ao que nasceu segundo o Espírito [Isaque], assim é também agora.” Gálatas 4:29. A expressão “ASSIM É TAMBÉM AGORA“ é usada por Paulo referindo-se ao comportamento dos que não nasceram de novo, os carnais, em relação aos que foram gerados novamente pelo Espírito Santo, os celestiais. De alguma forma o viver destes incomoda àqueles.
Assim, caros leitores, OU nós fazemos parte da família carnal OU da espiritual. Aquele que nasceu de novo é membro da celestial, e, por sua vez, vive uma vida semelhante à vida do Salvador, pois o Espírito Santo é o promotor desse viver. Gálatas 5:22 nos ajuda a compreender melhor. Fruto significa conseqüência, não causa. O Escrito Sagrado nos diz “Mas o fruto do Espírito é...”, como sucessão do evento espiritual aludido nas passagens já lidas no evangelho de João, supracitadas. Ao nascer de novo, o novo homem recebe um coração novo, uma mente nova, um novo propósito, uma nova inclinação que se demonstra naturalmente em seu novo viver. “Pelos frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?” Mateus 7:16.
Podemos entender agora por que Paulo afirma peremptoriamente que é IMPOSSÍVEL ao carnal agradar a Deus. “Portanto, os que estão na carne [os que não nasceram de novo] NÃO PODEM agradar a Deus.” Romanos 8:8. O azo principal é por que o carnal não foi regenerado pelo Espírito Santo. E a parte mais grave: tal indivíduo pode até ser membro da igreja, batizado, com cargo importante, mesmo um pastor renomado. Seus pensamentos não são constantemente puros, suas palavras são repreensíveis e mundanas, pratica a emulação, a chocarrice, não possui longanimidade, seu vestuário não é de cidadão do Reino. Seu viver está contido nos versículos constitutivos de Romanos 7:14 a 24. Muitos os interpretam erroneamente que ali está a descrição da vida do cristão combatente, porém não conseguem enxergar que São Paulo, na verdade, está relatando sua experiência antes de ter sido regenerado pelo Espírito Santo. Ali vemos uma batalha de um homem carnal tentando ser espiritual por seus próprios esforços, tentando salvar-se a si mesmo. Uma escritora, num rasgo de inspiração, relatou o seguinte:
“Por nós mesmos, é impossível escapar do abismo do pecado em que estamos afundados. Nosso coração é mau e não podemos mudá-lo. ‘Quem da imundície poderá tirar coisa pura? Ninguém.’ Jô 14:4. ‘O pendor da carne é inimizade contra Deus.’ Romanos 8:7. A educação, a cultura, o exercício da vontade, o esforço humano, todas essas coisas têm sua importância, mas nesse caso não têm poder para mudar a situação. Podem até produzir um comportamento aparentemente correto, mas não transformar o coração nem purificar as fontes da vida. É preciso que haja um poder que opere no interior, uma vida nova vinda de cima, para que o homem passe do estado pecaminoso para a santidade. Esse poder é Cristo. Somente Sua graça poderá vitalizar as inertes faculdades espirituais e atrair a pessoa para Deus, para a santidade.” E ela continua:
“Tu achas que irás te tornar uma pessoa melhor por teus próprios esforços? ‘Pode o etíope mudar a sua pele, e o leopardo as suas manchas? Então, podereis fazer o bem, estando acostumados a fazer o mal.’ Jeremias 13:23. Somente em Deus há ajuda. Não devemos esperar por persuasões mais contundentes, nem por melhores oportunidades, nem por um caráter mais santificado. Por nós mesmos, nada poderemos fazer. Devemos ir a Cristo do jeito que estamos.”
Paulo nos mostra como lutava para agradar a Deus, mas se via impossibilitado pela má inclinação que nele habitava causada pelo pecado. O domínio do pecado lhe tornava impotente para obedecer à lei do Senhor. Aí, em Romanos 8:1, ele expressa, regozijado, o sabor da maravilhosa experiência vivenciada na estrada de Damasco. Agora transformado, ele podia assegurar o que estava vivendo, os frutos de uma nova vida eram vistos nele, oriundos de uma obra espiritual miraculosa; numa só palavra – CURA. Não havia sobre ele a pena de morte, pois fora GERADO DE NOVO, frase usada por Pedro. Este novo homem – PAULO, à vista de Deus era justo, não tinha nenhum pecado, nenhum passado negro, pois a vida obediente de Cristo pertencia-lhe pela fé, e, assim, ele era visto como se nunca houvesse pecado. Por isso ele pôde clamar altissonantemente: “Portanto, AGORA NENHUMA CONDENAÇÃO para OS QUE ESTÃO em Cristo Jesus.” Romanos 8:1.
Esta mensagem não é para te desencorajar, caríssimo leitor nem muito menos te entristecer, mas justamente o contrário – despertar-te para uma verdade que esteve oculta aos nossos olhos por muito tempo. Estar em Cristo não é uma experiência promovida inicialmente por nós. Ela faz parte da santificação. Não poucos acreditam que se fizermos algum esforço, tivermos uma comunhão mais íntima com Deus, efetuar jejum, etc., poderemos alcançar uma postura mais santa. Entrementes, nenhum esforço terá algum valor se não formos antes transformados. Irmãos, o que precisamos para mudar nossa vida não vem de esforço, todavia nos será DADO gratuitamente quando desistirmos de lutar e formos a Cristo, assim como iam os leprosos, os paralíticos, os cegos, e pedirmos que nos cure da nossa doença espiritual. E, se não duvidarmos da promessa de I João 1:9, receberemos o dom da justiça, o poder para viver uma vida totalmente santa. SÓ PRECISAMOS CRER para entrar no descanso do Senhor, mencionado no livro de Hebreus. Sim, podemos, como pouquíssimos crêem, viver a mesma vida que Jesus viveu, pois com o novo nascimento o Senhor nos capacita para isso. E foi essa a intenção de João ao escrever: “E a todos quantos O receberam, DEU-LHES O PODER de SEREM FEITOS FILHOS DE DEUS.”
Não nos iludamos com a idéia de que temos que fazer alguma coisa para sermos transformados. A voz que soa nos nossos ouvidos “luta! esforça-te!” não é a do Espírito Santo, mas a do nosso arqui-inimigo, transfigurado em anjo de luz, porque ele bem sabe que continuaremos sendo seus escravos. Devemos atender primeiro ao VINDE de Cristo, irmos a Ele com os nossos defeitos de caráter e em Sua presença pedirmos que nos CURE de nossa doença espiritual. Se não duvidarmos do Seu poder, se crermos em Sua promessa contida em I João 1:9, enfrentaremos a vida, não mais deficientes, não mais leprosos, não mais paralíticos, agora sãos, curados, puros, renovados, não somente com disposição, mas mormente com poder, o poder que tanto queríamos ter para alcançarmos uma vida de constante vitória, uma vida que sobe como aroma suave às narinas do Criador, fazendo-Lhe pronunciar em nosso favor: “Este é meu filho amado em quem Me comprazo.”
Os que nascem de novo vivem segundo a vontade do Pai celestial, comunga dos mesmos pensamentos. Seu viver, agora, é um sacrifício vivo e agradável ao Senhor, consoante Romanos 12:1. Pode parecer fabuloso, fantasioso, mas é a pura realidade, uma realidade maravilhosa que nos aguarda. Deus não arriscaria a vida do Salvador para nos promover APENAS o perdão. Ele nos garantiu mais que isso – VER-SE EM NÓS. Por que tu achas que a obra do Espírito Santo é dividida em duas etapas – REGENERAÇÃO e RENOVAÇÃO? Tito 3:5. Regeneração primeiro, depois renovação. Não se pode inverter essa ordem. Tais palavras não foram escritas aleatoriamente, porém com um propósito estupendo. REGENERAÇÃO representa a primeira obra miraculosa do Espírito Santo. Se não percebeste, o vocábulo regenerar reserva em sua estrutura a palavra GENE. O GENE espiritual do homem foi cabalmente deformado com a introdução do pecado no mundo, pois esse foi o intuito de Satanás – destruir a imagem do Criador no homem. Imagem significa caráter, e caráter tem muito a ver com o gene. Portanto, o evangelho não se restringe ao perdão, MAS PERDÃO E PURIFICAÇÃO. I João 1:9. O Espírito Santo nos dá um novo GENE, um novo caráter, semelhante ao do Criador. PERDÃO É JUSTIFICAÇÃO. Primeira etapa.
PURIFICAÇÃO É SANTIFICAÇÃO. Segunda etapa. Talvez o prezado leitor não tenha vislumbrado aqui um assunto muito estudado em biologia: GENÓTIPO e FENÓTIPO. O fenótipo é a manifestação do genótipo. De igual maneira ocorre com a lavagem da renovação, a segunda etapa da obra do Espírito Santo, relativamente à regeneração. Na estrutura do vocábulo RENOVAÇÃO, vemos a palavra NOVA, que nos evoca II Coríntios 5:17: “Pelo que, se alguém está em Cristo, NOVA CRIATURA é; as coisas velhas já passaram; eis que TUDO se fez NOVO.” Desta forma, recebemos um novo caráter [REGENERAÇÃO] que se evidencia em nosso novo viver [RENOVAÇÃO], entendes? Regeneração é justificação, enquanto que renovação é santificação. A primeira é instantânea, a segunda paulatina.
Todo o plano divino focaliza primordialmente a restauração do Seu caráter em mim, em ti, em nós, em todos os que estiverem dispostos a abrir mão de sua própria vida, para que Ele seja formado em nós por Seu Espírito. E fará contigo o que fez com todos os que nasceram de novo, só depende de ti. Uma experiência inefável está a tua espera: a experiência do novo nascimento.
Mas a hora vem, e agora é, em que OS VERDADEIROS ADORADORES adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai PROCURA a tais que assim o adorem.” João 4:23. Certamente o leitor entende agora por que Deus PROCURA por aqueles que assim o adorem. Todos os que nascem de novo, vivem uma vida agradável a Deus, adoram-no com o sacrifício vivo de seus louvores, de suas obras, de seu viver, frutos do Espírito Santo. Tais membros da família de Deus, por terem nascido dEle, são os Seus verdadeiros adoradores, pois O adoram em espírito e em verdade. “Não te admires de Eu te haver dito: NECESSÁRIO VOS É NASCER DE NOVO.” João 3:7.
Que Deus nos abençoe!

0 comentários:

Postar um comentário

  ©Gotas de Conhecimento - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo