domingo, 26 de dezembro de 2010

AO IRMÃO GILSON!

Caro Irmão Gilson Medeiros, bom dia!

Quando Cristo predisse que um terremoto e uma evidente queda de estrelas anunciariam o tempo do fim, acha o Irmão que Satanás ficaria inerte e deixaria que a humanidade assistisse livremente tais sinais e assim cresse nas Escrituras? Claro que não. E por ser impostor, como sempre o foi, tratou de confundir a mente dos incautos com a contrafação da verdade. Com a permissão de Deus, Satanás pode muito bem manipular a natureza em prol dos seus desígnios. E assim ele agiu. Muitos terremotos circundaram aquele predito por Cristo e com isso conseguiu o diabo arrefecer a fé de milhões, pondo dúvida se era realmente uma profecia e qual dos acontecimentos era o cumprimento dela. Da mesma maneira se deu com o chuveiro de estrelas. E será assim até a vinda do nosso Salvador. A própria vinda de Cristo, Ellen White diz que ele tentará imitar, embalde. Para os que estudam o Sagrado Livro não haverá dificuldade em distinguir a verdade do erro. E por que existem tantas religiões? Não tem o mesmo fundamento – confundir? Satanás está por trás de movimentos sensacionalistas, que levam multidões ao falso arrependimento. Vivem por um momento num estado de glória e logo se vêem em trevas, desesperadas. Avivamentos nascem aqui e acolá por conta da emoção e dela tão-somente. E por que isso? Não precisamos nos convencer de que Satanás estuda as Escrituras, pois isso é mais claro que o cristal. Ele quer acompanhar todos os acontecimentos proféticos para tentar enganar até, se possível fora, os escolhidos. Assim, com um movimento aqui outro ali, sem a manifestação do Espírito Santo, ele tenta confundir a mente dos sinceros seguidores do evangelho para que não tomem conhecimento de uma verdade tão presente e por demais maravilhosa. Por que o evangelho tem o significado de boas-novas? Seriam essas boas-novas a mensagem do perdão de Deus? O perdão divino não nos confere poder, Irmão Gilson. Então o que consideraríamos ser boas-novas?
O que de fato nos anuncia o tema JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ? Paulo em Romanos nos ajuda bastante. "JUSTIFICADOS, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo." Romanos 5:1. O que é ser justificado? Tornado justo. A Bíblia assevera que só há um Justo: Cristo. Tornar Deus um pecador em um homem justo, significa algo mais do que uma simples figura. Algo considerado, de fato, uma boa-nova. Paulo está nos dizendo que a promessa estabelecida em I João 1:9, será cumprida, pois Deus é fiel. Lembremo-nos que a fé só tem finalidade de existência se houver antes dela, uma promessa. Pois, em que ancorar a fé, se nada antes tenha sido prometido ou pronunciado? E vemos também que ao entrar a fé em ação, algo acontece. E não é natural, é sobrenatural, pois a fé foi criada com o fito de agarrar-se no IMPOSSÍVEL. Note que todas as vezes que foi necessária a intervenção da fé, um milagre aconteceu. E sem fé nada ocorre. Por que Elias precisou se deslocar para fora do arraial, para fora de Israel, a fim de ser alimentado por uma viúva pagã? Diríamos: por que Deus o determinou. Mas o que havia por trás dessa determinação divina? O Salvador nos responde: “Em verdade vos digo que muitas viúvas existiam em Israel nos dias de Elias, quando o céu se cerrou por três anos e seis meses, de sorte que em toda a terra houve grande fome.” Lucas 4:25. No versículo 24 Ele nos esclarece: INCREDULIDADE. E quando proferiu tais palavras, os religiosos do Seu tempo se iraram contra Ele. E Paulo enfatiza a incredulidade como a principal causa da rejeição, por parte de Deus, quanto ao Seu povo como nação. A FALTA DE FÉ DESAGRADA A DEUS. Afasta-nos dEle. Paulo estava caminhando e viu um coxo de nascença, e diz a Escritura que ele fitou os olhos naquele homem e viu que ele TINHA FÉ PARA SER CURADO. Esta é a razão da cura. Ninguém recebia o dom divino se não fizesse uso da fé. A FÉ É A MÃO QUE AGARRA AS DÁDIVAS DE DEUS.
Voltemos ao assunto. Paulo em Romanos 5:1 está fazendo menção de um milagre. Veja: ele se refere a Cristo, em I Coríntios 15:45, como sendo o último Adão. Porquê? O primeiro Adão foi o começo da humanidade; o último Adão, Cristo, o recomeço. Um representa a obra da criação; o outro, da recriação. Quando Cristo disse a Nicodemos: “Necessário vos é nascer de novo.” João 3:7, Ele não estava falando de um faz-de-conta. Deus não é deus de faz-de-conta. O Salvador não estava falando por parábolas ou enigmas. Ele estava falando da obra da recriação de Deus. Como Cristo foi formado no ventre de Maria? Sabemos que foi o Espírito Santo que operou aquele milagre. E é da mesma obra que Jesus está falando, Irmão. Quando recorremos a Deus em busca de perdão, com o sincero desejo de abandonar o mau, Deus cumpre a promessa prevista em I João 1:9. Ali estão contidas duas bênçãos. Uma é o perdão dos nossos pecados. Todos eles são apagados, anulados. Somos vistos por Deus como se nunca houvéssemos pecado. A outra é o que precisamos, para viver uma vida santa e irrepreensível perante Ele e o mundo que nos cerca. Ele nos purifica. Noutras palavras: Ele nos torna puro como Cristo é puro. Instantaneamente recebemos o dom da justiça, o poder para vencer. Somos libertos do domínio do pecado. É por isso que Paulo diz: “Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.” Romanos 8:1.
O anjo disse a Maria que o nome do Redentor seria JESUS. E por qual azo? O anjo responde: “Porque Ele SALVARÁ O SEU POVO DOS PECADOS DELES.” Mateus 1:21. Livres do pecado, Cristo vem viver em nosso coração através do Espírito Santo, que é o penhor do novo nascimento. E assim o nosso viver será semelhante ao dEle próprio. “Aquele que diz que permanece nEle, esse deve também andar ASSIM COMO Ele andou.” I João 2:6. Andar COMO Cristo andou? E como Cristo andou? Guardando os mandamentos de Deus. Precisamos entender que Jesus só pode ser aceito por Deus como nosso Redentor, em virtude do Seu viver aqui na Terra ter satisfeito à santa lei de Deus. Se o Seu viver não fosse segundo o que requeria a lei, nós estaríamos perdidos. Sendo assim, um viver abaixo do modelo deixado por Cristo não é aceitável por Deus. E isso é possível, por um milagre operado por Deus. Salvar-nos do poder do pecado foi a principal razão da vinda de Cristo ao mundo, Irmão. Se assim não fosse ela teria sido em vão. Nascer de novo, portanto, é nascer de Deus, cuja operação é realizada pelo Espírito Santo. E São Pedro nos diz mais detalhadamente, Irmão Gilson, como ocorre: “SENDO DE NOVO GERADOS, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela PALAVRA DE DEUS, viva e que permanece para sempre.” I Pedro 1:23. Que semente corruptível é essa a que ele faz menção? São os gametas sexuais humanos, meu irmão. Pedro está nos dizendo que o novo nascimento não é uma obra da qual o humano participe, como ocorre na fecundação do óvulo pelo espermatozóide. Deus quer operar um milagre. Transformar-nos de pecadores em homens santos, que se comprazem em andar seguindo as pegadas do Mestre. Homens cuja inclinação é para as coisas do Espírito, tão naturalmente como era a inclinação para as coisas da carne, antes do milagre. A única ferramenta humana imprescindível na realização desse milagre é tão-somente a FÉ. Eis a razão do tema ser: JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ. Sermos tornados justos por um milagre que Deus opera em nós, recriando-nos a Sua imagem, QUANDO CREMOS que o fará. Foi o que ocorreu com os efésios. “Em quem também vós estais, DEPOIS QUE OUVISTES A PALAVRA DA VERDADE, o EVANGELHO da vossa salvação; e, TENDO NELE TAMBÉM CRIDO, FOSTES SELADOS COM O ESPÍRITO SANTO DA PROMESSA.” Efésios 1:13. Só recebemos o Espírito Santo quando nascemos de novo. Ele é quem nos enche de amor, elemento crucial para obedecermos aos mandamentos de Deus. “O cumprimento da lei É O AMOR.” Romanos 13:10. E o Espírito Santo é o veículo por onde o amor é derramado em nossos corações. Romanos 5:5. Confira. E por que acha o Irmão que Satanás não gosta desse tema? Por que ele sabe que se tal tema for bem compreendido, os que estiverem dispostos a crer no poder recriador de Deus serão livres do domínio do pecado, do seu domínio. Não serão robôs, pois o poder de escolha ainda existirá como nunca deixará de existir, havendo, portanto, a possibilidade de tal homem renascido desejar abandonar a vida da fé e voltar aos seus prazeres anteriores. Mas será uma decisão sua. Porém isso não impede, entrementes, do cumprimento da palavra do nosso Deus que diz, no Salmo 121:3: “Ele NÃO PERMITIRÁ que os teus pés vacilem.” Se caímos é porque Deus deixou de cumprir a Sua promessa, Irmão? Se Deus dissesse pro Irmão: “Gilson, Eu não permitirei que os teus pés vacilem!”, o irmão duvidaria de Sua palavra, como fez Pedro? Ou perguntaria: “Mas, Senhor, não sou eu um pecador?” Não importa o que somos, Irmão, importa o que Deus nos diz. E se Ele nos diz que nos transformará em homens capazes de vencer o pecado, mesmo em pensamento, é por que Ele tem poder para isso. Agora, o poder de Deus, em relação ao homem, sempre esteve limitado pela medida da nossa resposta. E essa resposta é chamada nas Escrituras de FÉ. Pedro afundou por que DUVIDOU da palavra que lhe foi dita por Cristo. Olhou para as circunstâncias. Se olharmos para nós, impediremos os nossos olhos de verem o que Deus pode fazer POR NÓS e EM NÓS. Por nós, apagando os nossos pecados; e em nós, transformando-nos em verdadeiros filhos de Deus. Homens e mulheres que vivem diante dEle sem cometer pecado. É possível sim, Irmão, viver uma vida isenta de pecado, em pleno 2010, mesmo em pensamento. Caso contrário, Pedro não diria tão clara e abertamente: “Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, NUNCA JAMAIS TROPEÇAREIS.” Será que Pedro não exagerou de propósito quando usou duas palavras sinônimas: NUNCA e JAMAIS?
A mensagem é muito forte, não é Irmão Gilson. Mas é o que Deus está propondo para nós, Irmão. Nossos esforços só são válidos após o novo nascimento. Devemos atender primeiro ao VINDE, e então, ao nos submetermos ao milagre do Espírito Santo, Ele nos GERA DE NOVO. O termo NOVA CRIATURA, de II Coríntios 5:17, soa melhor, agora, ao Irmão? Nascidos de novo, crescemos até a estatura de Cristo, alimentando-nos da Sua palavra, da oração e da pregação do evangelho, mantendo acesa a nossa fé nEle. Aqui, no processo da santificação, os nossos esforços são valiosos, pois colaboramos com o Espírito Santo na edificação de um caráter semelhante ao de Cristo, pois sem a santificação “NINGUÉM VERÁ O SENHOR”. Hebreus 12:14.
Cristo virá para buscar os que estão vivendo como Ele viveu. Só serão glorificados os que foram santificados. E só serão santificados os que provaram do novo nascimento - A OBRA RECRIADORA DE DEUS. As palavras de Cristo ainda ecoam: CRÊ SOMENTE!
Que Deus nos abençoe!
Irmão Edson.

1 comentários:

Unknown 20 de novembro de 2016 11:55  
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário

  ©Gotas de Conhecimento - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo