quinta-feira, 20 de maio de 2010

Nossa Origem e Nosso Destino

Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas. Efésios 2:10.

Tenciono com esta mensagem trazer a tua mente uma visão da nossa origem, do que nós somos e o que nos aguarda, nosso destino. Creio que tens conhecimento de algumas coisas relativas ao assunto, quiçá distinto do que te será proposto nestas entrelinhas. Destarte, aproveita, pois significam vida para ti.
Embora o tema seja ancorado no versículo acima, desejo recapitular alguns fatos, de modo que nada se perca e receba sua interpretação à luz da vontade de Deus. E como tudo deve ser iniciado pelo começo, contemplemos no primeiro capítulo de Gênesis, o nosso Criador trazendo à existência as coisas que não existiam. E no sexto dia de sua obra criadora, ele a coroa com a criação do homem, genericamente falando. Lemos: “E disse Deus: Façamos o homem à NOSSA IMAGEM, conforme a NOSSA SEMELHANÇA”. Gênesis 1:26. Propositalmente grifei as palavras inseridas no texto, a fim de nos debruçarmos um pouco sobre elas. Sendo Deus perfeito em Seu caráter e eterno por natureza, transmitiu ao homem criado, Suas próprias qualidades, entretanto, a eternidade seria condicionada a uma prova, onde o homem demonstraria se seria digno de recebê-la do Seu Criador, caso lograsse êxito. Por que Deus não concedeu ao homem tal atributo, sem a submissão a esta prova? Ele deveria escolher entre o bem e o mal, entre a obediência e a desobediência.
As Sagradas Escrituras nos falam de uma rebelião que ocorrera no Céu, muito antes da existência do homem. Lúcifer, o principal dos anjos, rebelou-se contra o Seu Criador. “Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti”. Ezequiel 28:15. Em face de não se entender como o pecado surgiu no Céu numa criatura divinamente perfeita, tal incidente é chamado pelas Escrituras de ‘o mistério da iniqüidade’. No entanto, esse fato é uma prova inequívoca de que Deus não criou robôs. Tanto os anjos quanto os homens são seres totalmente livres para decidirem agir segundo o seu querer. Ninguém é forçado a nada.
As Escrituras nos falam de que Lúcifer foi expulso do Céu e lançado aqui na Terra. Assim está escrito: “Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo”. Isaías 14:12 a 14. E o apóstolo João narra em Apocalipse 12:7 a 9: “E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragäo, e batalhavam o dragäo e os seus anjos; mas näo prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus. E foi precipitado o grande dragäo, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele”.
Aqui na Terra, Satanás intentou envolver e levar o homem a rebelar-se igualmente contra o Seu Criador. E em Gênesis vemos que infelizmente ele obteve êxito, trazendo com isso destruição e miséria ao mundo perfeito de Deus. Todo o planeta foi afetado. Cedendo o homem ao tentador, desobedecendo à ordem expressa de Deus, trouxe sobre si uma condenação: a morte. Além disso, em sua natureza foi introduzido um elemento totalmente estranho e infenso à vontade de Deus. O caráter do homem foi degenerado, tornando o homem escravo do pecado, escravo de Satanás.
De acordo com as Escrituras, o homem foi alienado de Deus. Não seria possível ao homem manter contato com o Seu Criador, pois está escrito: “Mas as vossas iniqüidades fazem separaçäo entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que näo vos ouça.” Isaías 59:2. Não fosse Cristo e estaríamos perdidos, pois o homem não pode sanar o débito contraído junto à lei de Deus. Lemos em Romanos 6:23: “Porque o salário do pecado é a morte”.
Sendo a lei de Deus, o Seu transunto, ninguém senão o próprio Deus poderia dar a vida em lugar do pecador, satisfazendo, assim, os reclamos de Sua santa lei. Para remediar esse problema, portanto, Cristo veio ao mundo para morrer no lugar da raça culpada. Os méritos de Seu sacrifício pagaram plenamente a nossa dívida, a dívida de todos os homens em todos os tempos. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o Seu Filho unigênito para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna”. São João 3:16.
Muito embora, Cristo tenha morrido na cruz e tornado possível ao homem desfrutar novamente da vida eterna, crendo em Seu sacrifício expiatório, confiando sua vida ao Salvador, vivendo não mais para si mesmo, mas para Aquele que por ele morreu, os méritos de Seu sangue derramado não terão nenhuma serventia para nós, se não decidirmos entregar-Lhe nossa vida. Pois Ele mesmo disse: “Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me”. São Mateus. E mais: paira sobre nós, ainda, a sentença de morte. “Porquanto Deus enviou o Seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele. Quem nEle crê não é julgado, mas o que não crê JÁ ESTÁ julgado, porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus”. São João 3:17 e 18.
Crer vai além do acreditar, vai além do assentimento intelectual, pois até os demônios crêem, e tremem (São Tiago 2:19), no entanto, não se salvarão. Crer significa entrega, entrega da nossa vida por Cristo, assim como Ele entregou a Sua vida por nós. Entregando nossa vida a Ele, arrependendo-nos do nosso viver errado, contrário ao Seu querer, Ele nos perdoa, por mais negros que sejam nossos pecados, por mais distantes que tenhamos estado de Sua presença. Não só perdoa, mas nos concede um novo viver, uma nova mente, um novo propósito. Somos transformados pelo Espírito Santo numa nova criatura que se compraz em fazer a Sua vontade contida nas Escrituras. Este é o presente que Deus nos quer dar, gratuitamente. Estando em Cristo, estamos seguros, pois nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Romanos 8:1.
Sem essa transformação, sem o novo nascimento, caminhamos para a morte. E a morte aqui não é a que estamos fadados, nós mortais, pois aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois disso o juízo. Hebreus 9:27. Esse juízo é que definirá o destino dos homens. “Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão: os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo”. São João 5:28 e 29.
Ocorrerão, portanto, duas ressurreições – a primeira será a dos justos, e a segunda, dos que não aceitaram Cristo quando em vida. O juízo a que se refere o versículo anterior, é a segunda morte, prevista em Romanos 6:23, já lida aqui. “Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo”’. Apocalipse 20:14. “Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda morte não tem autoridade [poder], pelo contrário, serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele os mil anos”. Apocalipse 20:6. “Quanto, porém, aos covardes, AOS INCRÉDULOS, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte.” Apocalipse 21:8.
Deus requer de nós tão-somente fé no Seu Filho, de modo que no dia de Sua vinda, que está mais próxima do que imaginamos, não sejamos confundidos, mas por Ele aceitos e levados para o Céu com Ele, consoante Sua promessa. O versículo temático nos diz que somos feitura Sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, efeitos da entrega sem reservas ao Salvador. Nossas boas obras não nos salvarão, uma vez que a salvação, é pela fé, não vem das obras, para que ninguém se glorie. Efésios 2:9. As boas obras do versículo do nosso tema são produzidas em nós pelo Espírito Santo, as quais Deus PREPAROU para que andássemos nelas. Não há salvação fora de Cristo, prezado Leitor.
Reflita sobre esta mensagem, por que Deus investiu todo o Seu amor e todo o Céu está comprometido com nossa salvação. Não há limites para o que Ele está disposto a fazer para que voltemos para Ele. Sua mensagem em Isaías 44:22 é: “Desfaço as tuas transgressões como a névoa e os teus pecados, como a nuvem; torna-te para Mim, porque Eu te remi”. Ainda: “De longe o Senhor me apareceu, dizendo: pois que com amor eterno te amei, por isso com amorável benignidade te atraí”. Jeremias 31:3.
“Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas...” Deuteronômio 30:19.
“Assim, pois, como diz o Espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração”. Hebreu 3:7 e 8. Leitor, não te demores a fazer a escolha certa. Hoje é o dia de voltar para o nosso Pai celestial; hoje quando temos a certeza da vida, a qual é passageira e incerta, podendo cessar em qualquer tempo; hoje quando Sua voz é sentida no nosso coração. O nosso Deus nos aguarda de braços abertos, desejando-nos ver ao longe que estamos indo na Sua direção, que estamos indo ao Seu encontro. Ele nos quer dar a vida eterna, e muito mais está a nos aguardar, pois as coisas que o olho näo viu, e o ouvido näo ouviu, e näo subiram ao coraçäo do homem, säo as que Deus preparou para os que o amam. I Coríntios 2:9.
Estarei orando por ti. Que Deus te abençoe!

0 comentários:

Postar um comentário

  ©Gotas de Conhecimento - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo